« Podia ter sido pior », ouvi.
Sempre pode ser pior. Sempre! Isso não é argumento e nem consolo pra ninguém. Poderia ter sido três museus no lugar de um. E se fossem três, poderiam ter sido quatro. Poderia ter sido a volta de uma epidemia que já estava controlada, poderia ter sido uma guerra de fronteiras, poderia ter sido um rio completamente destruído e um país querendo se armar para resolver as disputas na base da barbárie. O pior é que tem sido isso. Tem sido funcionários a meses sem receber. Tem sido desemprego de gente que quer trabalhar. Tem sido a pose arrogante de quem não entendeu nada. É golpe atrás de golpe. Tem sido uma eleição disputada nas notícias falsas que a gente chama de fake news porque parece bom copiar Estados Unidos até no que nos arruína.


Poderia muita coisa.


Poderia ter sido menos devastador. Poderíamos ter tido água nos hidrantes. Poderíamos ter tido repasses para a reparos básicos. Poderíamos ter sabido divulgar melhor a nossa cultura, nossa história e nossa pesquisa científica. Americanos que somos, poderíamos até ter ganhado com isso. Poderíamos ter cuidado mais das disputas políticas e de ego dentro da academia para realizarmos um serviço mais amplo para a comunidade. Poderíamos ter aprendido a melhor compartilhar conhecimento, defender a ciência e a educação. Poderíamos ter sido mais didáticos e ainda mais criativos ao falarmos do que sabemos. Poderíamos ter publicado menos sobre celebridades estúpidas e mais sobre gente que passa o fim de semana em pesquisas que podem salvar vidas. Poderíamos ter indicado mais soluções no lugar de apenas chorarmos os problemas. E soluções existem e chegam em forma de estudos científicos pouco ou nunca divulgados, projetos e aplicativos quase engavetados, gente que tenta se unir, mas é desestimulada. A gente deu voz pras pessoas erradas. A gente deu poder pra quem tinha outras prioridades. A gente deu dinheiro pra quem não fazia questão do amanhã. E aí eu nem sei como poderia ter sido pior.

BombeirosRio

foto: Erick Dau / A7 Press/ noticiaagora

(texto sobre o incêndio no Museu Nacional)