Precisamos falar sobre esse assunto. Não faz sentido tratar a festa, a celebração da vida como antônimo do trabalho. Primeiro que o trabalho também pode ser uma celebração da vida, segundo que a festa também pode te dar energia para muitas tarefas. Por que o trabalho é visto como tortura? Aliás, a palavra trabalho é derivada de “tripalium”, um instrumento de tortura. Como alguém pode primeiro pensar em verbalizar a tortura antes de pensar na beleza do trabalho? A beleza do fazer algo útil, da dignificação de oferecer a sua força, criatividade e energia para o mundo. Isso é trabalho! Mas também pode ser festa. Sem culpa.g